Pular para o conteúdo principal

LULA DE NOVO!!


Lula diz que não havia base legal para impeachment de Dilma


  • Folhapress
    Os ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney durante a cerimônia de posse da ministra Cármen Lúcia
    Os ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva e José Sarney durante a cerimônia de posse da ministra Cármen Lúcia
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (12) ao deixar a cerimônia de posse da ministra Cármen Lúcia como presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), que o impeachment da presidente Dilma Rousseff ensinou ao país que ainda é preciso aprender "muito para consolidar o nosso processo democrático". "O impeachment consagrado apenas por conta de uma maioria política eventual, sem levar em conta a inexistência de crime de responsabilidade, é crime, é grave", disse, ressaltando que todos os parlamentares - tanto na Câmara como no Senado - sabem que não havia base legal para afastar Dilma. "Não tinha um crime que pudesse referendar aquilo. É um alerta pra gente aperfeiçoar o nosso processo democrático. A democracia é uma construção constante, não tem limite", completou.
Questionado se pretende conversar com o presidente Michel Temer em algum momento, Lula disse que, "se algum dia for necessário", mas que não acredita que isso é viável neste momento. "Se algum dia for necessário conversar com qualquer pessoa, eu conversarei. Não acho necessário neste momento. Acho que primeiro precisamos arrumar as coisas dentro do PT", afirmou.
Lula disse ainda que o PT vai ter que reaprender a fazer oposição. "Aqui no Brasil muita gente exige que a oposição contribua com o governo. Nos Estados Unidos, os republicanos fazem oposição oito anos aos democratas e os democratas fazem oposição oito anos aos republicanos e ninguém se queixa. Ou seja, é normal, é da vida democrática. Eu acho que o PT vai ter que fazer oposição, vai ter que brigar", afirmou, ressaltando que obviamente o partido avaliará temas que são interesses do conjunto da sociedade.

Manifestações

Enquanto Lula dava as declarações à imprensa, um pequeno grupo de manifestantes gritava palavras de ordem contra ele e pedia sua prisão. Questionado se não se incomodava, Lula disse que nasceu na vida política fazendo manifestação. "Tudo o que eu quero na vida é que o povo se manifeste quantas vezes quiser", disse.
O ex-presidente disse ainda que acredita que os movimentos de rua contrários ao governo Temer devem durar "muito tempo". "Eu acho que isso vai perdurar, porque uma parcela da sociedade brasileira continua indignada", disse. "Obviamente que o Temer vai ter que fazer um exercício muito grande como presidente para fazer com que esse País saia da crise econômica que ele está submetido", completou.
Lula comentou ainda a polêmica envolvendo o reajuste do Judiciário e afirmou que todas as categorias que merecem reajuste devem ter reajuste. "Eu fui presidente da República e partia do seguinte pressuposto: o dia que não puder dar aumento real de salário, eu vou dizer que não posso dar aumento real, mas a reposição inflacionária é obrigação de todos nós porque significa a perda de poder aquisitivo do trabalhador. De qualquer poder, seja da presidência, metalúrgico", afirmou. "A reposição inflacionária é um direito das pessoas. O que não pode é você ficar dizendo que é preciso diminuir o custeio e fazer reajuste exagerado para qualquer categoria, pública ou privada. Acho que, se o Brasil precisa de sacrifício, é importante fazer sacrifício."
Lula disse ainda que o governo não pode tentar resolver problemas da crise "mexendo em direitos dos trabalhadores". "É inaceitável."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DIA INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN

Professora Débora, que tem síndrome de down, à desembargadora: Ensino às crianças “que tenham respeito pelas outras” Débora Araújo Seabra de Moura tornou-se a primeira professora brasileira com síndrome de down. Ela já publicou um livro, Débora Conta Histórias, que traz fábulas sobre o direito de ser diferente. Segundo a Tribuna do Norte, faz 13 anos ela trabalha como professora assistente na Escola Doméstica, de Natal. Foi a notícia de que o Brasil tinha professora com síndrome de down que levou a desembargadora Marília Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a fazer uma postagem num grupo fechado do Facebook. Marília é a mesma que escreveu que a vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio, era “engajada com bandidos” e teria sido eleita pelo Comando Vermelho. Depois disso, internautas foram atrás de outras postagens de Marília. E encontraram esta, a um grupo fechado do Facebook:  “Voltando para a casa e, porque vivemos em uma democracia, no rádio a única opção é a V…

PODERIA SER EM CAMPINA GRANDE!!

Onde foi que eu errei?CARLOS MOTTA SEX, 05/10/2018 - 18:47 Onde foi que eu errei?, por Carlos Motta Posso estar enganado, mas acho que uns 80% dos meus amigos, colegas e conhecidos de infância, adolescência e de jovem adulto da Jundiaí onde me criei, vão votar neste domingo no candidato presidencial que odeia homossexuais, negros e nordestinos, faz apologia à tortura, glorifica a ditadura militar, despreza a cultura e as artes, é a favor da venda indiscriminada de armas de fogo, pensa que o sexo feminino é inferior ao masculino, quis cometer atentados terroristas quando servia ao Exército, e enriqueceu, de modo mais que suspeito, depois que virou político, não apenas a si próprio, como a toda a sua família. Jornais de todo o mundo civilizado têm alertado que a sua vitória representaria um gigantesco retrocesso ao processo civilizatório brasileiro e à incipiente democracia que o país vive. Desde jovem, talvez sob a influência de meu pai, o saudoso capitão Accioly, carrego uma profunda o…

MUSEU: TRAGÉDIA ANUNCIADA

Em 2017, mais brasileiros foram ao Louvre, em Paris, do que ao Museu NacionalRafael BarifouseDa BBC News Brasil em São Paulo
Museu Nacional teve menos visitantes em 2017 do que o número de brasileiros que visitou o Museu do Louvre no mesmo ano. O Museu Nacional registrou 192 mil visitantes em 2017, segundo informou a assessoria de imprensa da instituição à BBC News Brasil. No mesmo período, 289 mil brasileiros passaram pelo Louvre, em Paris, na França, uma das principais instituições de arte do mundo, segundo registros do próprio museu. O número de brasileiros que visitaram o museu francês é 50,5% superior à visitação total da instituição brasileira.  O Louvre teve um aumento de 82% do número de visitantes do Brasil no ano passado em relação a 2016. Foi o segundo maior crescimento de público de um determinado país - os russos lideram com 92%. Os brasileiros foram a terceira nacionalidade que mais visitou a instituição, atrás apenas de americanos e chineses. Representaram 3,5% dos 8…