AINDA ANENCEFALIA!!

De quem é a vida afinal??? Boa questão... Creio que a vida não percente a ninguém. Nem aos pais ou ao que nasceu. Nem ao Estado ou familiares. A vida é por si somente. É uma coisa parecida com andar de bicicleta. Ou se está andando ou não. Quando se vive se vive e ponto. Agora, comparar anencéfalos com defeitos outros de mal formação congênita, aí é querer demais. Se afirmo anteriormente que a vida não pertence a ninguém, então abro espaço para defender a idéia de que nada devemos fazer em caso de anencefalia, certo??? Errado. Neste caso, creio, deve prevalecer a vontade de quem está a gerar um corpo que se negará a interagir com o mundo. Dizer que anencéfalos sorriem e coisas outras é evidente que permeia um discurso pré-definido anti-aborto. Mas o que pressupõe um anencéfalo??? Apenas corpo eivado de vida latente, não consciente de sua própria existência. E se não há consciência não há existência. Se o casal opta por interromper a gravidez num caso assim, então que seja dentro de uma norma longe de certas ações às escondidas e muitas vezes distante de salvaguarda da mulher que assim optar. Quanto a Esparta, bem. Esparta tinha uma realidade de guerra constante. Era uma cidade Estado que vivia em eterno combate e em busca dos despojos de guerra em caso de vitória. Portanto, Esparta não poderia admitir como realidade social a admissão de imperfeitos ou fracos que não poderiam guerrear e assim onerar com cuidados outros sua estrutura de máquina de guerra. Mas, de Esparta pra cá, muita água rolou por debaixo da ponte. Existência é precedida de consciência. Se não há possibilidade de haver um desenvolvimento de consciência então não necessidade de se existir.

Comentários

  1. Maio, Vc chegou a ver o voto de Peluso? Já esta rolando na net e eu deixei na minha página do facebook. ele enfrenta adequadamente estas questões trazidas por vc. Diz, por exemplo, de modo apenas aparentemente simplista que se um anencéfalo morre é porque vive e, portanto, está constitucionalmente protegido. Vale à pena conferir.

    ResponderExcluir
  2. Aliás, nós devemos existir somente enquanto somos necessários? Se não há necessidade de existir pode-se fazer um "descarte"?

    ResponderExcluir
  3. na minha opiniao pode... muitos descartes sao feitos cotidianamente. vide as paginas policiais... nenhuma existencia eh segura e determinada. tudo mais eh tenue e desaparece no ar!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

DIA INTERNACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN

VAI QUEM QUER??

PARA O ÚLTIMO DIA DO ANO!!